O que é estenose do canal cervical - Dr. Guilherme Meyer

O que é estenose do canal cervical

stenioze

Estenose refere-se ao estreitamento de uma estrutura, neste caso, do canal espinhal, ou do tubo ósseo por onde a medula espinhal e as raízes nervosas passam.

A coluna cervical é a parte superior da coluna vertebral, composta por sete corpos vertebrais que formam o pescoço. Cada corpo vertebral individual é separado por uma espécie disco gelatinoso que serve como uma almofada entre os ossos, permitindo os movimentos.

As raízes dos nervos individuais se ramificam pela medula espinhal e formam os nervos dos braços e mãos. Além disso, existem ligamentos ao longo de toda a coluna vertebral que ajudam a proporcionar estabilidade.

Como ocorre a estenose do canal cervical

A estenose da coluna cervical geralmente ocorre devido a alterações degenerativas na coluna vertebral, resultado do desgaste dessa região, e progride em pessoas com idade mais avançada.

Às vezes, uma parte de um disco pode se romper, colocando pressão sobre os nervos. À medida que as alterações degenerativas progridem, os discos podem entrar em colapso e diminuir de tamanho, deixando menos espaço para os nervos. Além disso, os ligamentos da coluna vertebral podem engrossar e formar espólios ósseos (osteófitos) nos corpos vertebrais. Estas alterações contribuem para o estreitamento da coluna vertebral e podem levar a um aumento da pressão sobre a medula espinhal.

Existem também algumas outras causas menos comuns de estenose na coluna cervical. Raramente, pode-se nascer com anormalidades na coluna vertebral que criam uma estenose congênita. Trauma e ferimento no pescoço são outras razões. Além disso, tumores, infecções ou calcificação dos ligamentos também podem estar ligados ao desenvolvimento da estenose, porém são mais raros.

Sintomas

Muitas vezes, a estenose cervical não apresenta sintomas, podendo ser descoberta apenas por meio da realização de raios-X ou ressonância magnética. No entanto, quando a condição se torna sintomática, o indivíduo sente dor ou dormência nos braços e/ou nas mãos. As dores no pescoço também podem surgir à medida que as articulações da coluna se tornam artríticas e rígidas.
A estenose que afeta as raízes nervosas costuma atingir mais frequentemente apenas um lado do corpo. Nesse caso, a localização da dor e dormência está relacionada com o nervo que está sendo comprimido. Esses sintomas geralmente são intermitentes no início e podem estar relacionados a certas posições do pescoço ou dos braços.
Ocasionalmente, os nervos comprimidos na parte superior do pescoço podem causar dores de cabeça. À medida que a estenose piora, pode haver compressão da própria medula espinhal, o que leva a uma grande variedade de sintomas, como dormência e fraqueza nos braços e/ou pernas, perda de destreza nas mãos (levando a dificuldades, como, por exemplo, abotoar camisas), perda de equilíbrio ou incontinência.
Se algum destes sintomas estiver presente, informe ao seu médico.

Como é diagnosticada

A estenose cervical pode ser diagnosticada de acordo com a história do paciente e exame físico. O seu médico pode pedir raios X do pescoço, que poderão mostrar esporões ósseos ou estreitamento do espaço entre os corpos vertebrais, causados pelo colapso dos discos.
A ressonância magnética também poderá ser solicitada. Esse exame permite observar a condição dos discos intervertebrais, ligamentos, medula espinhal e nervos. A RM é a forma mais comum de diagnosticar a presença de compressão nervosa. Outros tipos de exames de imagem, como tomografias e mielograma também podem ser solicitados em alguns casos para ajudar no diagnóstico.

Tratamento

Na maioria das vezes, a estenose cervical pode ser tratada com exercícios de alongamento e fortalecimento, medicamentos e mudanças de estilo de vida. Além disso, o médico poderá indicar sessões de fisioterapia.
Às vezes, crises agudas podem ser tratadas com uma breve administração de esteroides orais e/ou analgésicos. Injeções com anestésicos locais ou esteroides também podem ser aplicadas em casos específicos para ajudar no alívio da dor.
Se os sintomas persistirem ou forem graves, o médico poderá recomendar a cirurgia. Procedimentos menores podem envolver apenas a remoção do osso ou uma parte do disco rompido que está causando a compressão. Tais procedimentos médicos evoluíram no decorrer dos anos e são bastante seguros.
O protocolo apropriado de tratamento, que inclui os tipos de procedimentos cirúrgicos, se houverem, é uma decisão tomada pelo paciente e pelo médico em conjunto, baseada nas circunstâncias individuais de cada caso.